Pesquisar este blog

quarta-feira, 30 de março de 2016

NOTAS DE RODAPÉ

NOTAS DE RODAPÉ

 

A seção referência e a área de notas de rodapé são seções distintas do seu trabalho. Assim, a primeira vez que uma obra for listada na área de nota, a referência deve ser elaborada com todos os seus elementos principais incluindo a numeração de página. Não esqueça que essas notas não eliminam a necessidade de uma lista de referências.

Exemplo:

No rodapé: 
__________
8 MARTINE, G; PELIANO, J. C., 1975. 

Na seção Referências:

MARTINE, George; PELIANO, José Carlos. Migração, estrutura ocupacional e renda nas áreas metropolitanas. In: COSTA, Manuel Augusto (Ed.). Estudos de demografia urbana. Rio de Janeiro: IPEA/INPES, 1975.

Observação: Lembramos que você não é obrigado a utilizar notas de rodapé no seu trabalho. As notas de rodapé podem ser referenciais, explicativas ou expressões latinas. Desta forma você pode fazer uso de todas ou de apenas um tipo de nota. Mas se optar pelo uso de notas referenciais deve proceder conforme orientação acima.


NOTAS DE RODAPÉ  - EXPRESSÕES LATINAS

 

Segundo a NBR 10520, as notas de rodapé destinam-se a prestar esclarecimentos ou tecer considerações que não devam ser incluídas no texto, para não interromper a seqüência lógica da leitura. Desta forma, as notas de rodapé de referência devem ser reduzidas ao mínimo situar-se exclusivamente na área de Notas de RodapéNão são usadas na seção Referências.

Use-as conforme as explicações abaixo:

Observação: A primeira citação de uma obra, em nota de rodapé, deve ter sua referência completa.

Exemplo:    

No rodapé da página:
__________________
8 SARAIVA, António José. Gil Vicente e o fim do teatro medieval. 3. ed. Lisboa: Bertrand, 1981.

No texto:
Ao analisar a figura do herói e o destino da floresta na qual se transmuda, diz o último narrador: “Tal é o destino de Ogun, o Prometeu africano.”12
[...]
Confiramos parte da cinematográfica cena final do romance, coberta de ironia e de profunda desesperança –

Na Citação:
Elias agora totalmente solto e iluminado, proferindo Dominus falou, impondo a cura pela mão à fila de gente que subia para o palco e xinguilava, impondo a mão a toda a assistência, a qual cantava e dançava e ria [...] havendo um ou outro feiticeiro que subia ao palco para se despojar dos feitiços [...] feiticeiros arrependidos e agora livres, numa festa sem precedentes em Luanda13.

No rodapé da página:
__________________
12 SARAIVA, António José. Gil Vicente e o fim do teatro medieval. 3. ed. Lisboa: Bertrand, 1981.
13 Id., 1992, p. 315.


Observação: As subseqüentes citações da mesma obra podem ser referenciadas de forma abreviada, utilizando as seguintes expressões, abreviadas quando for o caso:

A expressão “Idem ou Id” é usada quando se tratar de citação de diferentes obras do mesmo autor. Ela substitui apenas o nome do autor.

No rodapé: 
______________________________
1 SARAIVA, António José. Gil Vicente e o fim do teatro medieval. 3. ed. Lisboa: Bertrand, 1981.
2 Idem, 1969, p. 45.
3 Idem, 1976, p. 79-80.



Observação: Quando a entrada da referência for feita pelo título, a nota de rodapé correspondente deve conter a primeira palavra do título em maiúscula, seguida de reticências, data da publicação e página.


No rodapé:
______________
7 CARTA... 1900, p. 211-215

Observação: Notas referentes a informações extraídas da Internet.


No rodapé:
___________
1 listserv@ibict.br
2 http://www.eca.usp.br/eca/prof/sueli/intro


O termo “Ibidem” (na mesma obra) só é usado quando se fizerem várias citações de um mesmo documento, variando apenas a paginação.

No rodapé:
____________________________
1 SARAIVA, António José. Gil Vicente e o fim do teatro medieval. 3. ed. Lisboa: Bertrand, 1981.
2 Ibidem, p. 165.
3 Ibidem, p. 171-172.


No rodapé: 
______________________________
1SARAIVA, António José. Gil Vicente e o fim do teatro medieval. 3. ed. Lisboa: Bertrand, 1981. p. 163
2 SARAIVA, 1981, p. 165.
3 SARAIVA, 1981, p. 171-172.

A expressão “Op. cit.” (na obra citada) é usada em seguida ao nome do autor, referindo-se à obra citada anteriormente, na mesma página, quando houver intercalação de uma ou mais notas. 

No rodapé:
___________________________
1 LAHR, 1972, p. 134.
2 FONTES , 1983, p. 42.
3 LAHR, op. cit., p. 39.


A expressão “Loc. cit.” (no lugar citado) é empregada para mencionar a mesma página de uma obra já citada.

No rodapé: 
___________________________
1 SARAMAGO, José. Cadernos de Lanzarote.  Lisboa: Editorial Caminho, 1996. v. 3, p. 211.
2 SARAMAGO, loc. cit.

A expressão “Et seq.” (seguinte ou que se segue) é usada quando não se quer mencionar todas as páginas da obra referenciada. Indica-se a primeira página, seguida da expressão “et seq.”


No rodapé:
_____________________________
1 ALMEIDA FILHO, 1993, p. 102 et seq.

O termo “Passim” (aqui e ali) é usado quando se quer fazer referência a diversas páginas de onde foram retiradas as idéias do autor, evitando-se a indicação repetitiva dessas páginas. Indica-se a página inicial e final do trecho que contém as opiniões e os conceitos utilizados.

No rodapé:
_____________________________
1 PRADO , 1971, p. 34-72 passim.

A abreviatura “Cf.” (confira ou confronte) é normalmente usada para fazer referência a trabalhos de outros autores ou a notas do mesmo autor.

No rodapé:
_____________________________
1 SARAMAGO, José. Cadernos de Lanzarote.  Lisboa: Editorial Caminho, 1996.
2 Cf. nota 5 do capítulo 8.

A expressão “Sic” é usada para destacar erros gráficos ou de outra natureza, informando ao leitor que estava assim mesmo, no texto original.

No rodapé: 
_____________________________
[...] todo aquele devedor que for reniente em pagar sua dívida e que buscar algum surterfúgio (sic) para [...] (FERREIRA, 1986, p. 245).


Observação: Lembre-se que:


* 
As  Notas de Rodapé podem ser referenciais, explicativas ou expressões latinas;
**
A primeira citação de uma obra, em nota de rodapé, deve ter sua referência completa.