Pesquisar este blog

sexta-feira, 16 de junho de 2017

INFORME BIBLIOTECA DO IPPUR/UFRJ - O QUE É QUALIS CAPES

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) divulga anualmente uma classificação de periódicos nacionais e internacionais, nos quais haja publicações (periódicos, anais de eventos e livros) que representem a produção intelectual dos programas de pós-graduação brasileiros de todas as áreas do conhecimento. Essa classificação, chamada de Qualis, tem por objetivo aperfeiçoar os processos de avaliação dos Programas de Pós-Graduação stricto sensu(mestrado e doutorado), ponderando a qualidade da produção intelectual dos docentes e pesquisadores.
Conforme indica o documento de área das ciências sociais aplicadas (CSA1) de 2013, o Qualis Capes para periódicos está estratificado e caracterizado da seguinte forma:
  • A1 – contempla periódicos de referência internacional indexados nas bases Web of Science e/ou JCR;
  • A2 – contempla periódicos de referência internacional indexados nas bases Scopus e/ou Scielo, além de artigos publicados por doutores de diferentes instituições com publicação de 50% por volume de autores ou coautores filiados a instituições estrangeiras;
  • B1 – contempla periódicos de referência nacional indexados em pelo menos uma das bases: LATINDEX (Sistema Regional de Información em Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España e Portugal); REDALYC (Red de Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal); DOAJ (Directory of Open Access Journals – periódicos eletrônicos); CLACSO (Consejo Latinoamericano de Ciências Sociales); CLASE (Citas Latinoamericanas em Ciencias Sociales y Humanidades), além de artigos publicados por doutores de diferentes instituições com publicação expressiva por volume de autores ou coautores filiados a instituições estrangeiras;
  • B2 – contempla periódicos de referência nacional indexado pela DOAJ (Directory of Open Access Journals) considerando também periódico que contenha artigos cujos autores doutores sejam vinculados a pelo menos 3 (três) instituições diferentes daquela que edita o periódico, por volume, além de manter periodicidade e acessibilidade;
  • B3 – contempla periódicos que contenha artigos cujos autores doutores sejam vinculados a pelo menos três instituições diferentes daquela que edita o periódico, por volume, além de manter periodicidade e acessibilidade;
  • B4 – contempla periódicos que contenha publicação de artigos com um número mínimo de autores doutores pertencente a diferentes instituições daquela que edita o periódico;
  • B5 – contempla periódicos que atendam aos critérios mínimos exigidos para ser classificado como periódico científico, mas não são relevantes para a área, assim como periódicos que atendam aos critérios mínimos, mas não atendem às exigências adicionais descritas nos estratos anteriores;
  • C – contempla periódicos considerados não científicos e inacessíveis para avaliação.
Os critérios definidos para classificação dos periódicos nos estratos delimitados possuem quatro grandes fundamentos: um de cunho técnico-científico, que está vinculado à qualidade e variedade dos artigos submetidos através de estudos que promovam impacto na área; outro de cunho institucional, que envolve o intercâmbio local, regional, nacional e internacional entre instituições e pesquisadores no sentido de fomentar submissões/publicações variadas nos periódicos; outro ainda de cunho histórico, que envolve o amadurecimento dos periódicos através da periodicidade, acessibilidade, registro nas bases de dados, entre outros e, finalmente, de cunho político-editorial,que delineia as normas, diretrizes, disseminação, formação de corpo editorial, científico, consultivo e avaliativo ou, em outras palavras, que montam as condições formais e estruturais de atuação do periódico.
Quanto mais os aspectos técnico-científicos, institucionais, históricos e políticos-editoriais de um periódico se consolidarem, mais possibilidades de classificação nos estratos elevados (A1 e A2) se ampliam, visto que valorizam a qualidade de atuação do periódico em nível nacional e internacional. Na página da Capes é possível encontrar diversos documentos que estabelecem uma imersão sobre os critérios e procedimentos de avaliação e atuação dos periódicos instituídos pela Coordenação, assim como localizar informações sobre os periódicos nacionais e internacionais incluídos no Qualis.